CAPÍTULO DE 31-10-2009

Sábado 31 de Outubro pelas 12,30 horas para os lados do lugar da Senhora de Fátima, em Manteigas, verificaram-se inusitados movimentos de gastro-Confrades (poderiam ser eno), ávidos de novidades. Por essas bandas realizou-se nas instalações da Escola de Hotelaria de Manteigas mais um Convívio da Confraria da Feijoca.

O Director, Dr. Mário Silva, há muito tinha manifestado a intenção de a Escola “fazer um serviço” para a Confraria da Feijoca de Manteigas. Quando desta vez lhe solicitámos a habitual colaboração, surpreendeu-nos com a proposta de aproveitar a estada em Manteigas de um ex aluno da Escola que é hoje reconhecido Chefe e que vem dar formação às turmas de Cozinha, para nos proporcionar tal serviço.

Tratou-se do Chefe João Hipólito que tinha acabado de regressar de Londres onde colaborou numa Mostra de Cozinha Portuguesa, aí realizada. Foi discípulo dos consagrados Chefes Luís Baena e Fausto Airoldi e fruto da origem da sua formação em Manteigas tem dedicado especial empenho na utilização da feijoca.

Por isso e com a colaboração da Monitora Chefe de cozinha, Ana Mendes, veio brindar-nos com uma sofisticada ementa de um quase hino à divina leguminosa. A feijoca esteve presente em todos os pratos da ementa de que se tem aqui e agora o privilégio de criar água na boca ao relatá-la. Esperamos ser sugestivos q.b. para que os nossos estimados leitores se reclamem de idêntico privilégio ao lerem-na. Para começar um escabeche de trutas com feijocas marinadas. Para o segundo prato (um autêntico luxo), foram pezinhos de porco recheados com molejas, acompanhados de boletos (cogumelos silvestres) e puré de feijoca. As molejas são massas glandulares muito saborosas que aparecem tanto na vitela como no porco ou mesmo no cabrito, e que emprestam muita elegância ao sabor delicioso dos cutunhos. Para finalizar pastel de feijoca com sorvete de tangerina.

Ao café houve uma prova surpresa de produtos gourmet de produção em recente empresa criada em Manteigas. De curiosa sigla PDF que mesmo invertida (como obriga a ditadura do inglês tecnológico) não converte documentos em Formatos de Documentos Portáteis, mas antes produtos da terra tais como feijoca, castanha, abóbora, etc, em deliciosas gulodices. Não apenas doces mas também salgadas, de seu nome comercial PDF – Penhas Douradas Food. Fruto da iniciativa do casal proprietário da Casa das Penhas Douradas e nossos Confrades, Isabel e João Tomás que aceitaram o convite que lhe fizemos de apresentar aos seus pares Confrades, que têm especiais responsabilidades nos pareceres gastronómicos que emitem, uma mostra dos seus muito especiais sabores.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s